back to top
Sobre

Labs

Blog

Trabalho

E se ontem deixasse de existir?

Soluções digitais para instituições e marketing político.

E se ontem deixasse de existir?

Você que odeia acordar cedo, sempre clama por mais 5 minutinhos, ama chocolate desde quando tocava a campainha do vizinho e saia correndo, talvez ainda pense que a inveja alheia faça a sua fama. Ainda sim, você adora dar risada disso. Aliás, riso este que te faz legal sem parecer estar dando mole pra ninguém pois, como dizem, amigos também dizem “eu te amo”. E assim vai a vida de quem luta sempre e não desiste jamais, afinal, “a gente se fode mas se diverte”.

Se identificou? Agora imagina isso replicado nas comunidades do Orkut… Sim, nada disso que escrevi no parágrafo anterior é original. É apenas uma compilação de algumas das maiores comunidades da velha rede social, lançada lá nos idos de 2004. Porém, nesses 10 anos de cozimento, o angu desandou e o cozinheiro teve de jogar a comida fora. Em setembro de 2014, o Orkut dá seu último suspiro e parte para a terra dos pés-juntos.

O fechamento dessa que já foi a maior rede social no Brasil, trouxe à realidade um fato que já vinha pensando há algum tempo: como sobreviveríamos sem os dados armazenados?

Pode ser que isso seja uma “viagem” minha, tipo filme de ficção científica. Mas os primeiros estalos vieram a partir das “tempestades geomagnéticas”. Afinal, se uma tempestade solar já pôde danificar uma rede elétrica, porque não os servidores do Google na Finlândia? Ou seriam os serviços “na nuvem” protegidos por anjos celestiais? Confio em alguns deles, mas de olhos bem abertos.

Mitos ou verdades, a recomendação é que você cuide bem da catalogação dos seus dados. HDs, CDs, DVDs, livros, fotografias impressas, tudo isso é seu. Está sob o seu controle, e sem eles nenhuma rede social funciona. Veja esse simples exemplo. Muita gente ainda não sabe que o Orkut vai fechar, mas usavam a rede freneticamente no passado. Você verá quantos irão, no último minuto, correr contra o tempo para salvar todos os dados que lá ainda repousam.

Hoje o post é uma breve recomendação. Essas questões levam a discussões sobre o porquê de ter um site, o não depender das redes sociais, até o fato de você não guardar o telefone e email de seus contatos importantes. Todos os pontos te levam a mesma conclusão: o único responsável pelo seu acervo é você.

Se acha tudo isso uma grande bobagem, lembre-se que se não fossem as pinturas rupestres, talvez não tivéssemos registros claros sobre como viviam aqueles seres humanos. Lembre também dos motivos que levaram Hitler a queimar algumas obras de arte, sem falar no taliban, que dinamitou os Budas de Bamiyan no Afeganistão.

Use e abuse das redes, mas preserve a sua história. Sem ontem, hoje e amanhã não farão sentido. Você pode achar que não, mas aquele comercial tosco da Loreal tinha razão: “Porque você vale muito”.

Aproveite para ver os vídeos também.

Você que odeia acordar cedo, sempre clama por mais 5 minutinhos, ama chocolate desde quando tocava a campainha do vizinho e saia correndo, talvez ainda pense que a inveja alheia faça a sua fama. Ainda sim, você adora dar risada disso. Aliás, riso este que te faz legal sem parecer estar dando mole pra ninguém pois, como dizem, amigos também dizem “eu te amo”. E assim vai a vida de quem luta sempre e não desiste jamais, afinal, “a gente se fode mas se diverte”.

Se identificou? Agora imagina isso replicado nas comunidades do Orkut… Sim, nada disso que escrevi no parágrafo anterior é original. É apenas uma compilação de algumas das maiores comunidades da velha rede social, lançada lá nos idos de 2004. Porém, nesses 10 anos de cozimento, o angu desandou e o cozinheiro teve de jogar a comida fora. Em setembro de 2014, o Orkut dá seu último suspiro e parte para a terra dos pés-juntos.

O fechamento dessa que já foi a maior rede social no Brasil, trouxe à realidade um fato que já vinha pensando há algum tempo: como sobreviveríamos sem os dados armazenados?

Pode ser que isso seja uma “viagem” minha, tipo filme de ficção científica. Mas os primeiros estalos vieram a partir das “tempestades geomagnéticas”. Afinal, se uma tempestade solar já pôde danificar uma rede elétrica, porque não os servidores do Google na Finlândia? Ou seriam os serviços “na nuvem” protegidos por anjos celestiais? Confio em alguns deles, mas de olhos bem abertos.

Mitos ou verdades, a recomendação é que você cuide bem da catalogação dos seus dados. HDs, CDs, DVDs, livros, fotografias impressas, tudo isso é seu. Está sob o seu controle, e sem eles nenhuma rede social funciona. Veja esse simples exemplo. Muita gente ainda não sabe que o Orkut vai fechar, mas usavam a rede freneticamente no passado. Você verá quantos irão, no último minuto, correr contra o tempo para salvar todos os dados que lá ainda repousam.

Hoje o post é uma breve recomendação. Essas questões levam a discussões sobre o porquê de ter um site, o não depender das redes sociais, até o fato de você não guardar o telefone e email de seus contatos importantes. Todos os pontos te levam a mesma conclusão: o único responsável pelo seu acervo é você.

Se acha tudo isso uma grande bobagem, lembre-se que se não fossem as pinturas rupestres, talvez não tivéssemos registros claros sobre como viviam aqueles seres humanos. Lembre também dos motivos que levaram Hitler a queimar algumas obras de arte, sem falar no taliban, que dinamitou os Budas de Bamiyan no Afeganistão.

Use e abuse das redes, mas preserve a sua história. Sem ontem, hoje e amanhã não farão sentido. Você pode achar que não, mas aquele comercial tosco da Loreal tinha razão: “Porque você vale muito”.